Eclipses

Marta Monteiro é uma artista em construção. Engenheira civil de formação, encontra nas artes a conexão com outras fases possíveis, assim como nos ciclos lunares. Na exposição Eclipses, que ocupa o Café Bamboo – a quinta de seu percurso artístico – a artista apresenta treze obras, sendo dez delas inéditas, em formatos variados e que trazem os círculos como pincelada primeira e estruturante. Há quatro anos, Marta Monteiro explora figuras geométricas em experimentações que se expandem em elipses através de colagens e pinturas. Eclipses que surgem como desenhos nas séries de fragmentos, onde a artista investiga as oposições num constante velar e desvelar. Entre as opacidades e o que se dá a ver, a geometria imprecisa feita à mão trai a formação exata de quem passou por cálculo integral e bases matemáticas, para obedecer outras lógicas e transitar pelos extremos como se fossem meios, num processo que trai a tela para ganhar as paredes. A tensão de flertar entre a sombra e a luz, a perfeição e o erro, a flutuação e o silêncio revelam paisagens pessoais codificadas, como se as imagens recortadas e sobrepostas tridimensionalmente fossem um alfabeto próprio, a subversão ou invenção de uma linguagem. Cada pintura é uma aventura, diz a artista, e o círculo é o caminho criado pela linha para chegar a si mesma. Um percurso que se trilha na quietude e conduz a um mundo interior, onde começo e fim se embaralham. Uma espécie de proteção ao vazio interno, esse que nas obras aqui apresentadas pulsa e salta para além da superfície que supostamente deveria se firmar.


Flávia Dalla Bernardina- Curadora



0 visualização0 comentário